Publicações

Mesmo com Decretos vigentes minoria se recusa usar máscara de proteção

Mesmo com Decreto 119/2020 em vigência, que torna obrigatório o uso de máscaras nas ruas e em locais fechados, bem como, a utilização de álcool em gel na porta de entrada dos estabelecimentos comerciais em Barracão, profissionais da Vigilância Sanitária do município estão encontrando dificuldades no que tange à responsabilidade, uso de máscara e aglomeração.

Barracão é o único município da fronteira com Santa Catarina e Argentina a registrar casos positivos da COVID-19. São quatro confirmados e recuperados.

Isso fez com que autoridades de saúde do município de Barracão adotassem medidas de fiscalização para evitar outros possíveis contágios.

Desde o dia 22 de maio os profissionais estão fiscalizando empresas, seja do comércio essencial ou não, bem como, pessoas em circulação pelas ruas e espaços públicos.

Profissionais da Vigilância Sanitária de Barracão

De acordo com a Coordenadora da Vigilância Municipal, Josiane Vasques, uma pequena parcela da população ainda não entendeu o que é ter responsabilidade no momento que estamos enfrentando.

“Os últimos dias foram intensos e fiscalizamos praticamente todo o comércio do centro e dos bairros, inclusive residências após o recebimento de denúncias”.

Conforme Josiane, neste primeiro momento o trabalho foi pedagógico, ou seja, de orientação, contudo, muitos não cumprem o decreto.

“Não está havendo colaboração de uma pequena parcela, como sempre. No comércio muitos clientes estão entrando sem máscaras, para piorar, funcionários não estão usando, por isso fizemos este trabalho de orientação”.

Contudo, frente aos abusos registrados, o período de orientação terminou.

“No estado e município decretos tornam obrigatório o uso da máscara e isso não está sendo seguido, portanto vamos cobrar, não só nas empresas, pois é só sair pelas ruas para encontrar muitas pessoas desrespeitando à lei. Também percebemos grande aglomeração de pessoas em bares, o que é proibido neste momento”.

Destaca-se que há pouco tempo os anseios de empresários e colaboradores, enfim, de todos, era para o retorno normal das atividades com adoção de certas medidas, entre elas uso álcool em gel na porta e uso de máscara.

“Os decretos determinam isso, mas alguns locais e pessoas não estão seguindo e estão sendo resistentes, inclusive um empresário me disse que ‘não tem lei que vai me obrigar à usar máscara’ e isso poderá prejudicar à coletividade”, alerta a profissional.

Como o fim do período de orientação, a partir de agora quem descumprir às medidas será notificado e posteriormente responderá por infração, ou seja, por descumprimento das medidas sanitárias impostas pelo município e estado, o que caberá multa.

Em Barracão o valor da multa será de uma Unidade de Referência do Município – URM, cujo valor de referência é de R$ 72,85 (setenta e dois reais e oitenta e cinco centavos), podendo ser dobrada, em caso de reincidência.

Já no estado o valor vai de R$ 106,60 a 533,00, mais multa de infração sanitária o que poderá dobrar o valor.

A partir desta sexta-feira, dia 29, os trabalhos de fiscalização também serão ampliados para o interior, onde denúncias dão conta de aglomerações de pessoas em várias localidades.

Números desta quinta-feira (28) da COVID-19 no município:

Investigação 0
Descartados 10
Confirmados 4
Recuperados 4


Segunda à Sexta-feira
08 - 13h30
13h - 17h30
Telefones:
(49) 3644.1215
(49) 3644.1217

Prefeitura Municipal de Barracão - Paraná - Rua São Paulo, 235 - Centro - CNPJ.:75.666.131/0001-01 2021® Todos os direitos reservados

Desenvolvimento: PORTAL TRI